quinta-feira, 29 de julho de 2010

Oração do Guerreiro de Selva - CIGS

video

Não preciso falar nada. Linda demais essa oração.

video

Centro de Instrução de Guerra na Selva - CIGS
Daqui alguns anos...certamente estaremos lá...

terça-feira, 27 de julho de 2010

Satélites brasileiros

Durante sua palestra, o ministro defendeu desenvolvimento de satélites brasileiros para o monitoramento das fronteiras da Amazônia e da faixa litorânea brasileira – chamada pelos militares de “Amazônia Azul”.

“[O desenvolvimento de satélites] não é coisa de apenas uma geração, e nós não estamos trabalhando”, afirmou o ministro em palestra durante a reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que ocorre nesta semana em Natal.

Atualmente, o Brasil tem apenas dois tipos de satélite em órbita, operados por meio do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Um deles, em parceria com a China, leva câmeras para fotografar a superfície do planeta. O outro captura informações ambientais, como quantidade de chuvas e regime dos rios.

Segundo o ministro, uma das necessidades mais fortes da defesa é ter um satélite geoestacionário (que se mantém sempre na mesma posição em relação ao planeta) para fazer o controle do espaço aereo.
Em sua conferência, Jobim também se disse favorável a aumentar as pesquisas brasileiras na Antártida. Segundo ele, o país não tem pretensões de obter direito a trechos do território antártico – ao contrário dos vizinhos Chile e Argentina –, e a presença de pequisadores reforçaria a ideia de usar o continente apenas para fins científicos.

Fonte: http://www.forte.jor.br/

Venezuela X Colômbia

Urge examinar os múltiplos e complexos desdobramentos decorrentes desse embaraço entre estes dois países.
A primeira introspecção que faço é a seguinte; Será que esse embaraço pode gerar uma escalada militar? A denúncia é fundada ou não? Qual a participaçao dos Estados Unidos nesse eventual conflito? Qual a participaçao dos aliados ou melhor os alinhados com Hugo? Em análise hipotética, quem ganharia a guerra?


Passo a responder tais indagações. Oportuno pontuar que, ao meu sentir, esse embaraço pode sim, se tornar uma escalada militar. Fundamento esse posicionamento ventilando os interesses que o Estados Unidos possui nesse conflito; posso dizer seguramente que o exército da Colômbia seria uma extensão do exército norte-americano em razão da exclusividade das aquisições militares. A Colômbia compra tudo dos Estados Unidos possuindo até certos privilégios no fornecimento de bombas de alta tecnologia. Faço o registro ainda que o exército americano está presente em territorio colombiano ocupando algumas bases militares, com finalidade precípua de combater às FARC. O Plano Colômbia já teve investimentos diretos e indiretos da ordem de 7 bilhões de dolares.

A denúncia feita pelo Uribe à OEA deve ser levada em consideração porque já circula entre os estudiosos militares que Chávez possui certo relacionamento com as Farc. Ainda não é possível precisar qual o nível deste relacionamento, mas é sabido que há certo envolvimento.

Os Estados Unidos possui o nítido interesse nesse conflito amparado por inúmeras razões. Posso destacar em primeiro lugar, o interesse de continuar a fornecer os equipamentos militares para a Colômbia. Caso haja o conflito, os Estados Unidos maximizariam suas vendas e lucros. Em segundo lugar, Hugo traz incertezas para o cenário da política mundial, sendo considerado anti-americano, isto é, declarando expressamente que não coaduna com os ideais do império. Todas essas razões expostas corroboram para justificar e incentivar o eventual conflito armado entre Colômbia e Venezuela.

A Venezuela não entraria neste conflito só, porque também possui seus aliados, a saber Equador, Bolivia e as Farc. Chávez fez várias compras da Russia e China mas recebeu pouco disso tudo.

Do ponto de vista militar até o Brasil acabaria se envolvendo nesse conflito mas não apoiando um ou outro, mas sim preservando seu território e espaço aéreo evitando o chamado uso-utilitário, em outras palavras o Brasil não poderia permitir por exemplo que uma aeronave colombiana entrasse no nosso espaço aéreo para poder melhor bombardear a Venezuela. (isso acontece muito no oriente médio).

Num eventual conflito, ao meu sentir, a Colômbia se consagraria vencedora, por ter o devido e robusto suporte dos Estados Unidos e por estar em guerra a mais de 40 anos sendo sem dúvida a força terrestre mais bem preparada no continente por ter essa experiência de conflitos reais.

D.V.R.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Nosso objetivo

Nosso objetivo aqui é sistematizar de forma técnica os principais acontecimentos do mundo militar e examinar os desdobramentos no cenário da política interna e externa de eventuais aquisições ou potenciais conflitos armados.
Urge registrar que os principais acontecimentos, certamente serão postados e eventualemente analisados, portanto a seguir uma lista meramente exemplificativa daquilo que poderá ser objeto.
Aquisições de equipamentos,
Parcerias de programas e treinamentos,
Os rumos da política externa brasileira,
Os conflitos armados e não armados pelo mundo,
As principais noticias das forças armadas.
Agora é só esperar para ver.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

O Brilhante.


Nelson Jobim é bacharel em direito formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, (1964 a 1968) exerceu advocacia entre 1969 a 1994, foi deputado federal por dois mandatos, o primeiro sendo nos anos de 1987 a 1991 e o segundo de 1991 a 1995. Foi Ministro da Justiça no Governo de Fernando Henrique Cardoso (1995 a 1997) e Ministro do Supremo Tribunal Federal sendo nomeado também após 4 anos, para a presidencia do Tribunal Superior Eleitoral e só em 2005 assumiu a presidencia do Conselhor Nacional de Justiça.


Em 25 de julho de 2007 Nelson Jobim foi empossado no Ministério da Defesa em razão da queda de Waldir Pires por demonstrar-se incapaz de gerenciar a crise aérea que se prolongou por 10 longos meses.

Naquela época as perspectivas eram baixas, seria mais um ministro que não faria nada, se fosse capaz de lidar com a crise já estaria de bom tamanho. Mas ninguém, absolutamente ninguém imaginou que ali estaria o mais brilhante e competente ministro da defesa de todos os tempos.

Nelson Jobim é sem dúvida, o responsável pelas profundas mudanças no cenário político-militar brasileiro, razão pela qual nós estaremos aqui expondo algumas dessas políticas no sentido de desvendar os rumos no qual o Brasil passou a tomar.

D.V.R.